CR aprova balancetes e destaca Ações Solidárias da ADunicamp

image_pdfimage_print

O CR (Conselho de Representantes), reunido nesta terça-feira, 22 de março, aprovou os balancetes financeiros da ADunicamp referentes aos trimestres: setembro, outubro e novembro/ 2021 e dezembro/2021, janeiro e fevereiro/2022. Os balancetes já haviam sido analisados e aprovados pela Comissão de Finanças constituída por integrantes do CR.

O destaque especial dos balancetes foi o amplo leque de ações solidárias realizadas pela ADunicamp no curso da pandemia da Covid-19. A importância das ações foi ressaltada pela presidenta da entidade, professora Silvia Gatti (IB), e por conselheiros e conselheiras que participaram da reunião.

As ações foram aprovadas pelo CR (relembre neste link) e começaram a ser disparadas no início da pandemia, em 2020, e ainda prosseguem. Elas vão desde doações de cestas básicas, materiais e EPIs, apoio a estudantes da Unicamp em dificuldades agravadas pela pandemia, até a compra semanal de alimentos para o Restaurante Comunitário São Marcos, que oferece 250 refeições diárias para pessoas carentes.

Prêmio Reconhecimento ADunicamp – Prof. Mohamed Habib

Um importante relato feito pela professora Silvia Gatti, durante a reunião com o CR, foi sobre a entrega da premiação realizada no último dia 15 de março (confira o vídeo neste link). A professora Silvia destacou os projetos premiados (que serão divulgados no site da ADunicamp em breve), a importância da realização dessas ações e indicou que, nos próximos dias, será formada uma nova comissão, a qual terá a tarefa de avaliar o formato do prêmio e indicar possíveis mudanças para a próxima edição.

Por fim, a professora Sílvia relatou o último encontro das entidades do Fórum das Seis que deliberou sobre a construção da nova pauta de reivindicações para a Data Base/2022.

Em breve, a pauta será divulgada amplamente para o corpo docente da Unicamp e será discutida em assembleia a ser convocada par o início de abril.

Moções

O CR aprovou também duas moções encaminhadas por integrantes do conselho. São elas:

Moção 1

O CR (Conselho de Representantes) da ADunicamp manifesta-se solidário aos diversos atos realizados para marcar os quatro anos do brutal assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes e repudia a lentidão das investigações. O ritmo das mesmas deve ser acelerado, mesmo que estas envolvam a família do Presidente.

Moção 2

Sidney Possuelo, ex-presidente da FUNAI e um dos maiores sertanistas e indigenistas do país, devolveu a medalha ao mérito indigenista que recebeu do Governo Federal há 35 anos. Foi uma atitude em protesto contra a decisão do ministro da Justiça, delegado Anderson Torres, de conceder a honraria ao presidente Bolsonaro. Outras autoridades governamentais também receberam a medalha, incluído Torres (autoconcessão!!).

O CR (Conselho de Representantes) da ADunicamp e também sua diretoria repudiam esta atitude hipócrita de concessão da honraria a integrantes de um governo genocida que ataca todos os dias as populações indígenas das mais diversas formas, incluindo a tolerância com o assassinato de suas lideranças.

O Conselho de Representantes e a diretoria enaltecem a atitude de Sidney Possuelo e o parabenizam por sua coerência e valentia.

1 comentário em “CR aprova balancetes e destaca Ações Solidárias da ADunicamp”

  1. CAIO NAVARRO DE TOLEDO

    Oportunas as duas MOÇÕES. Por meio de um documento oficial da entidade, sugiro que a Moção de solidariedade a Sidney Possuelo seja enviada ao sertanista e ao Ministério da Justiça. A meu ver, impõe-se que órgãos do governo federal – diante do escárnio representado pela homenagem ao maior algoz dos povos indígenas no país – conheçam o posicionamento crítico dos setores democráticos da sociedade civil brasileira. Igualmente, que a ADunicamp dê conhecimento desse nosso repúdio aos órgãos da grande imprensa, sites e blogs democráticos, entidades indigenistas, entidades de docentes universitários, comissões de direitos humanos. Caso a divulgação da Moção fique restrita apenas ao seu Portal, certamente, deixará de cumprir com sua finalidade precípua que é a de intervir no conjunto de manifestações críticas às iniciativas arbitrárias e atentados aos direitos humanos cometidos pelo governo Jair Bolsonaro.
    caio n. de toledo, membro do GT Unicamp pela Democracia.

Comentários encerrados.

Rolar para cima