PELO ROMPIMENTO DE RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS E COMERCIAIS: Carta de docentes e pesquisadores da Unesp, Unicamp e USP


Por suas convicções democráticas, críticas e humanistas, o/as abaixo-assinado/as – docentes e pesquisadores da UNESP, UNICAMP, USP e outras Instituições – vêm a público a fim de manifestar sua irrestrita solidariedade ao povo palestino.

Desde outubro de 2023 até o momento, de forma estarrecida e impotente, temos assistido ao aprofundamento da tragédia humanitária em Gaza. Diariamente, vidas humanas são brutalmente ceifadas e não restam senão escombros e ruinas das instalações vitais da população da região.

As estatísticas são dantescas: dois milhões de pessoas (80% da população) foram expulsas de suas casas e sofrem o permanente risco de limpeza étnica. 70% das construções – casas, hospitais, igrejas, escolas e todas as 12 universidades – foram bombardeadas e destruídas com o evidente objetivo de tornar Gaza uma região inabitável e desértica. Mais de 40 mil pessoas foram mortas (entre elas, 70% crianças e mulheres); 19 mil crianças se tornaram órfãs. Mais de mil delas estão com uma ou duas partes do corpo amputadas e dezenas de milhares de famílias foram riscadas do registro civil. Os relatos de insuspeitas entidades de direitos humanos sobre a destruição de Gaza são infindáveis e as imagens e os vídeos a que, diariamente, temos acesso são chocantes e aumentam nossa indignação.

Os mais recentes ataques das poderosas Forças Armadas de Israel contra um acampamento de refugiados em Rafah, no sul de Gaza – por meio dos quais crianças, mulheres e idosos foram carbonizados (pelo menos 45 mortos e mais de 200 feridos) –, demonstram, de forma definitiva, a intenção do atual governo de Israel de aniquilar o povo palestino.

Diante deste cenário de inaudita, insana e infindável violência, não podemos nos calar. Recusar-se a falar sobre Gaza, neste momento, não pode senão significar conivência com os “crimes contra a humanidade” em curso.

Reconhecendo os gestos e iniciativas humanitárias do governo brasileiro, vimos, pois, unir nossas vozes a todos e todas que solicitam que o Brasil se junte às demais nações que romperam relações diplomáticas e comerciais com o Estado de Israel. De forma oportuna e justificada, todos estes governos exigem o cumprimento das decisões internacionais que pedem o cessar-fogo, o fim do genocídio e exigem a implementação do direito à autodeterminação do povo palestino.

O mundo exige o fim da ilegal ocupação militar israelense dos territórios palestinos e o fim do sistema desumano e criminoso de apartheid ao qual está submetido o povo palestino.

Tomando as palavras de uma Carta de intelectuais e artistas endereçada, nestes dias, ao presidente da República Lula da Silva, acreditamos que estes urgentes posicionamentos poderiam constituir uma valiosa contribuição para que sejam estancados o genocídio e a limpeza étnica do povo palestino.

Palestina Livre e Soberana!

Entre os signatários iniciais da Unicamp estão:

Andréia Galvão

Alvaro Penteado Crósta

André Kaysel Velasco e Cruz

Angela Soligo

Aparecida Neri de Souza

Caio Navarro de Toledo

Dermeval Saviani

Eleonora Cavalcante Albano

Francisco Foot Hardman

Gustavo Tenório Cunha

Ítala Loffredo

João Ernesto de Carvalho

José Claudinei Lombardi

Laymert Garcia dos Santos

Liliana Segnini

Luciano Pereira

Luiz Marques

Marcelo Ridenti

Maria Silvia Gatti

Paulo Sérgio Pinheiro

Plínio de Arruda Sampaio Jr.

Ricardo Antunes

Sebastião Velasco e Cruz

Wagner Romão

Apoios à Carta podem ser dados por meio do link: https://forms.gle/ZyRpbhjpCGZXZwbr6 

***

Divulgação realizada por solicitação do Professor Caio N. de Toledo (IFCH), na condição de sindicalizado à ADunicamp. As opiniões expressas nos textos assinados são de total responsabilidade do(a)s autore(a)s e não refletem necessariamente a posição oficial da ADunicamp, nem de qualquer uma de suas instâncias (Assembleia Geral, Conselho de Representantes e Diretoria).

***

Foto de destaque: Paulo Pinto/Agência Brasil 


0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *