Assembleia aprova Orçamento da ADunicamp para 2023 e acompanha balanço de 2022 e planos para o novo ano


A Assembleia Geral de docentes da Unicamp, a última do ano, reunida nesta quinta-feira, 15 de dezembro, aprovou por unanimidade dos participantes, a Previsão Orçamentária da ADunicamp para 2023, que já havia sido apresentada ao CR (Conselho de Representantes) da entidade em 30 de novembro. A presidenta da ADunicamp, professora Silvia Gatti (IB), agradeceu o resultado: “Essa unanimidade certamente é um reconhecimento do nosso trabalho e eu agradeço em nome da nossa diretoria”.

A Previsão Orçamentária foi apresentada em detalhes, durante a Assembleia, pela 1ª Tesoureira da entidade, professora Diama Bhadra do Vale (FCM), que mostrou todas as previsões das entradas de recursos e dos gastos previstos. Os principais recursos, apontou ela, são os pagamentos das mensalidades de associados/as e as principais saídas de recursos do caixa da ADunicamp são para os pagamentos dos planos de saúde e a com a gestão da entidade, como ocorre nos orçamentos de todos os anos.

Mas a professora Diama abriu um destaque especial para a ampliação de recursos destinados às atividades culturais na previsão para 2023, que apresenta um aumento significativo com relação aos gastos realizados em 2022. “Essa é uma grande mudança. A Diretoria decidiu que a forma como estamos executando nossas atividades culturais não estão suficientes. Avaliamos que estamos gastando pouco, pois somos uma entidade que pode e deve promover mais atividades culturais para divulgar a entidade e fortalecer os vínculos entre sindicalizados. É uma decisão política”, esclareceu ela.

Após a exposição, o Diretor Administrativo Edson Joaquim dos Santos (Cotuca) falou sobre algumas das obras previstas na Previsão Orçamentarias e voltadas para melhorias na sede da entidade. Os gastos previstos são mais baixos que os efetivados em 2022, pois a instalação do sistema de energia fotovoltáica envolveu muitos recursos em 2022. “E o sistema já está completo e instalado”, disse.

O professor Edson informou que, além das obras regulares de manutenção e mobiliários das sedes da entidade na Unicamp e em Limeira, está prevista uma ampla remodelação na Sala Multiuso da sede central, com o objetivo de torna-la mais acessível e acolhedora, para que possa ser amplamente utilizada por docentes, inclusive com reforma acústica para que possa ser utilizada como auditório. Há também a previsão da implantação de um espaço, provisoriamente chamado de Espaço Saúde, que vai abrigar atividades diárias, com práticas de exercícios e outras.

“E, pra não dizer que não falei das flores, o grande destaque previsto para 2023 é o projeto de paisagismo. Um projeto bastante abrangente, que vai deixar a nossa sede bem mais bonita e agradável”, disse. A professora Diama destacou a importância da reforma paisagística: “Estamos há dois anos fazendo esse projeto de paisagismo para nossa sede, com arquitetos e profissionais, buscando inclusive que a flora do entorno seja mais adequada, com plantas nativas. E agora, com os recursos que temos, com o aumento das receitas previstas para 2023, a projeção é iniciar a sua implantação”.

Para a professora Sílvia, o paisagismo e o conjunto das melhorias previstas para 2023 estão diretamente ligadas ao mote que a Diretoria da ADunicamp propõe para a convivência e ações da entidade em 2023, que é “Cuidar do Ambiente”. E cuidar do ambiente, avaliou ela, é cuidar de todo o entorno, das pessoas, dos relacionamentos, do meio ambiente e “de tudo o que nos cerca” (leia mais, nesta página).

Como já havia sido discutido na última reunião anual do CR, Diama relatou que a ADunicamp já está na fase de finalização do processo de contração de uma empresa de auditoria externa com o objetivo de poder fazer uma prestação de contas mais detalhada e clara, que possa ser acompanhada com facilidade mesmo por docentes que não tenham familiaridade com números e planilhas dessa natureza.

Um 2022 repleto de ações e importantes propostas para 2023

Ao final da Assembleia, a presidenta da ADunicamp, professora Sílvia Gatti (IB) apresentou um breve relato das atividades em 2022 e apontou algumas das linhas de trabalho previstas para 2023. “Essa é quase uma prestação de contas de nossas atividades, mas principalmente a confirmação de que temos uma ADunicamp sempre viva”, avaliou.

Entre os 31 eventos culturais realizados ao longo do ano, quase dois por mês, ela fez questão de destacar alguns deles, que foram possíveis, na maioria das vezes e a partir do segundo semestre, de forma presencial. Entre eles, os Concertos ADunicamp, com um total de 10 eventos presenciais; o ADunicamp na Estrada, que foi “muito bem avaliado e será retomado a partir de janeiro”; e o Cine Clube, que voltou agora com apresentações também aos sábados. Foi dado destaque para o Festival de Cinema Italiano, integrado a um amplo movimento em todo o Brasil. “O sucesso dos eventos mostra que estamos promovendo cultura em Barão Geraldo”.

As ações sindicais, no âmbito da crise social brasileira e da urgente necessidade de defesa das universidades públicas, da educação e da ciência, foram quase diárias. A professora destacou, entre elas, o Seminário de Comunicação Sindical que, segundo ela, tem aberto caminhos “para nos inserirmos com mais efetividade nos grupos da mídia”; a participação conjunta nas ações e encontros com demais entidades ligadas ao Andes; além da atuação de diferentes formas junto a comunidades que necessitam de apoios, como os assentamento Milton Santos e Marielle Vive!.

A ADunicamp também sempre esteve ativa na organização e participação de ações, como o Ato Pró Democracia, realizado no Teatro de Arena. “E lembramos também os nosso Encontros pela Democracia, realizados já em um ambiente pré-eleitoral, quando a atual Diretoria assumiu, sim, com firmeza e determinação, nosso compromisso com a democracia”.

“Junto ao Fórum das Seis buscamos de maneira insistente e responsável que seguíssemos com as negociações de nossa pauta de reivindicações da Data-base junto ao Cruesp. E temos que reforçar que foram essas ações que permitiram que em 2022 tivéssemos os 20,57% de reajuste salarial”, apontou.

A professora lembrou que foram ações diretas da Diretoria da ADunicamp que levaram ao reatamento das reuniões com o Cruesp. “Não houve cumprimento de nossa pauta de 2022, mas já temos reuniões técnicas e agendadas com o Cruesp, para construirmos a nossa pauta para 2023”.

“Acrescento aqui, entre nossas ações, a Semana da Consciência Negra, com eventos culturais, mas também com muitas mesas de discussão, incluindo os debates sobre a importância de atuações efetivas para a contratação de docentes negras e negros aqui na nossa Universidade. E, também destaco, nossa presença junto aos alunos indígenas: participamos do ENEI, proporcionamos encontros de nossos estudantes em movimentos indígenas nacionais e outras ações. Tivemos um papel importante para garantir a manutenção e presença dessas e desses estudantes dentro da universidade”.

A ADunicamp concedeu ao longo do ano, lembrou Sílvia, apoio financeiro a mais de 50 atividades e para uma amplitude significativa de projetos. “Todos esses projetos foram analisados com pertinência antes da concessão. Essa é uma forma de reafirmarmos o propósito da ADunicamp pela inclusão cidadã. Manteremos essas ações. Entre elas estão a formação de cursos de diferentes matizes, atendendo uma grande população vulnerável. Todas as nossas mais de uma centena de ações serão publicadas em nosso site, que em janeiro estará de cara nova”.

A professora relatou que a intensa atuação da ADunicamp ao longo de 2022 foi decisiva para a adesão à entidade de 44 novos/as docentes neste ano. “É um avanço muito expressivo, mas teremos uma campanha de filiação no início de 2023 e esperamos que as adesões aumentem ainda mais”.

NOVO ANO, NOVOS MOTES

Por decisão já tomada pela Diretoria, a ADunicamp terá como mote para suas ações em 2023 a expressão “Cuidar do Ambiente”. “Junto com o país vamos cuidar de nosso ambiente, vamos fazer uma ADunicamp cada vez mais sustentável. Começamos com o término da implantação da energia fotovoltaica e já estamos em fase de preparação do projeto ADunicamp Lixo Zero. E cuidar do ambiente para nós vai no seguinte sentido, no sentido do texto que já temos divulgado em alguns de nossos conteúdos: ‘Cuidar é ótimo. Cuidar do meio implica cuidar de tudo a nossa volta, inclusive das pessoas. Construir territorialidades, estar disponível para dialogar com as diferenças, criar proximidades’”, finalizou.

Eleita delegação para o 41° Congresso do ANDES-SN

A Assembleia Geral também escolheu dez representantes da delegação da ADunicamp que participará, com direito a voto, do 41° Congresso do ANDES-SN, que ocorre entre os dias 6 e 10 de fevereiro, na cidade de Rio Branco, no Acre.

Também por decisão da Assembleia, serão realizadas na ADunicamp reuniões abertas a docentes para discutir os principais pontos das propostas que serão debatidas e votadas no Congresso. As reuniões serão realizadas antes da partida da delegação e com a participação de, pelo menos, parte de seus integrantes.

Foram eleitos/as, por unanimidade, para compor a delegação: Diama Vale (FCM), Wagner Romão (IFCH), Paulo Centoducatte (IC), Edson Joaquim dos Santos (Cotuca), Silvia Gatti (IB), Romilda Mochiutti (CEL), Regina Célia da Silva (CEL), Emília Wanda Rutkwoski (FECFAU) e Maria José Mesquita (IG).


1 Comentários

ADunicamp

[…] A Assembleia Geral, realizada no dia 15 de dezembro de 2022, escolheu as(os) representantes para compor a delegação da ADunicamp que participará, com direito a voto, do 41° Congresso do ANDES-SN. […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *