Assembleia elege Comissão Eleitoral para eleição do CR, discute Data-base e aprova moções

image_pdfimage_print

A ADunicamp apresentou, em assembleia de docentes ocorrida nesta quarta-feira, 2 de junho de 2021, o calendário detalhado da eleição suplementar para o CR (Conselho de Representantes) da entidade, biênio 2021/2022, que ocorre nos dias 29 e 30 deste mês. Também foi eleita a Comissão Eleitoral que fará o acompanhamento e fiscalização de todas as etapas da eleição.

A comissão será integrada pelas professoras Maria José Maluf Mesquita (IG) e Olivia Ribeiro (FEF) e pelo professor Herling Alonzo (FCM). O calendário, aprovado pelo atual CR em 26 de maio, prevê que as inscrições de candidatos/as serão encerradas em 16 de junho e a posse ocorrerá em 27 de julho.

A presidente da ADunicamp, professora Silvia Gatti (IB), ressaltou a importância do CR na condução da entidade, em especial num momento como este, quando a Universidade, a ciência e o conhecimento vivem sob fortes ataques. “A carreira docente está em evidência, com muitas questões a serem enfrentadas, e será cada vez mais importante a participação da ADunicamp”, avaliou.

Silvia pediu o apoio de todos/as presentes na divulgação da eleição em suas unidades, para garantir o maior número possível de candidatos/as e também a ampla participação de docentes na votação.

Também foram eleitos pela assembleia os/as representantes da ADunicamp para o CONAD Extraordinário do ANDES, que ocorre de forma virtual nos dias 2, 3 e 10 de julho. Paulo César Centoducatte (IC), vice-presidente da ADunicamp, foi eleito delegado; José Vitório Zago (IMEC), observador/suplente e Silvia Gatti observadora.

DATA-BASE

Paulo Centoducatte fez um informe detalhado, no início da assembleia, sobre o andamento e os impasses nas discussões da Data-base 2021. Embora a pauta do Fórum das Seis tenha sido protocolada há 60 dias, até o momento ainda não havia nenhuma manifestação do Cruesp para a primeira rodada na mesa de negociação.

“É um desrespeito como nunca vimos antes. Acompanho de perto as nossas Datas-base há 20 anos. E nunca vi passarmos o mês de maio sem uma única negociação”, afirmou. Segundo ele, têm sido feitas várias gestões junto ao Cruesp e à Reitoria da Unicamp para que a primeira reunião seja agendada com urgência.

A professora Silvia apontou que, além da reposição de perdas salariais, a pauta do Fórum das Seis propõe outras reivindicações e discussões urgentes, inclusive a do plano sanitário para as universidades. Em 2020, diante do forte impacto e das incertezas da pandemia, as entidades do Fórum das Seis concordaram em suspender as negociações da Data-base. “Ano passado tivemos todo o respeito com o momento. Não fizemos nenhuma proposta. A atual atitude do Cruesp, de total desrespeito, é inaceitável”, ponderou ela.

MOÇÕES

A assembleia aprovou três moções que serão amplamente divulgadas pelos canais de comunicação da ADunicamp e, duas delas, também enviadas para autoridades que possam, de alguma forma, intervir e se manifestar sobre os casos. A primeira, sobre problemas com transporte público em Campinas, será enviada para o prefeito, para a Câmara Municipal, para Secretaria de Transportes e Endec. E a segunda, sobre violência da Polícia Militar, para os governadores de Pernambuco e Goiás.

São elas:

TRANSPORTE PÚBLICO

A Assembleia da ADunicamp, reunida em 02/06/2021, manifesta-se da seguinte forma:
Repúdio às novas ”reformulações” do transporte público em Campinas. A partir de 31-05-2021 foi suspensa a linha de ônibus 328, que servia o bairro do Guará. Parte do seu percurso será assumido pela linha 321.
Há outros cortes em meio a uma “reformulação” que envolve o serviço de transporte coletivo de Campinas. Das duas linhas que faziam o percurso Barão Geraldo-Centro (por diferentes caminhos) sobrou apenas uma desde a semana passada.
O objetivo implícito: ônibus lotado para maximizar o lucro das empresas, não importando as circunstâncias.
A consequência da diminuição das linhas ou do total de serviços diários é a superlotação dos ônibus, que em tempos de pandemia equivale ao GENOCÍDIO da população que depende do transporte público para se locomover até o local do emprego. Consequentemente abre o caminho para disseminação da pandemia entre toda a população do município.
Pela não redução de linhas e viagens no transporte público de Campinas.
Pela não lotação no transporte público de Campinas.
Cadê a EMDEC? Cadê a Secretaria de Transportes? Cadê o prefeito?
TODOS CÚMPLICES DO GENOCÍDIO, TODOS TRABALHANDO EM FAVOR DA PANDEMIA


VIOLÊNCIA DA PM

Repúdio à ação da PM de Pernambuco que atira nos olhos dos manifestantes.
Repúdio a PM de Goiás que prende professor por exibir faixa contra o governo Bolsonaro.
Pelo fim da PM.


COPA AMÉRICA NO BRASIL

Fora a Copa América no Brasil!
Jogadores, equipes técnicas, jornalistas vindos de todo mundo. Outros países já recusaram sediar a copa por causa da Covid-19. A mafiosa Conmebol anunciou a realização da copa no Brasil antes da manifestação do governo a respeito. Segundo a CBF, houve anuência do governo federal. Um dia depois, Bolsonaro assumiu o compromisso, dizendo que todos seus ministros concordavam. O ministro da saúde não se manifestou.
Haverá a entrada de novas cepas e a dispersão dos vírus por aglomerações provocará maior número de internações e de morte.

Rolar para cima