Diretoria da ADunicamp fala sobre eleições e Café na Roça ao Conselho de Representantes

image_pdfimage_print

A presidenta da ADunicamp, professora Silvia Gatti (IB), informou nesta terça-feira, 26 de abril, durante reunião do CR (Conselho de Representantes) da entidade, que já está formada e em atividade a Comissão Eleitoral que fará a verificação de todos os processos da eleição para a nova Diretoria da entidade, inclusive da segurança do programa que será utilizado para receber a votação online, nos próximos dias 9 e 10 de maio.

Além dos votos online, uma urna física estará disponível na sede da ADunicamp para docentes que preferirem fazer a votação de forma presencial. Embora apenas uma única chapa, a “Sempre Viva”, tenha se inscrito para concorrer, a professora Sílvia reforçou a importância da participação de todos/as na eleição. “Uma votação expressiva é muito importante para dar representatividade à próxima Diretoria”, avaliou.

A eleição escolherá também o próximo CR da entidade. “Como, infelizmente, apenas nove Unidades apresentaram candidatos para integrar o Conselho, a próxima Diretoria deverá, em breve, realizar uma nova eleição exclusiva para o CR. O CR é fundamental para a ADunicamp e para a representação docente e não pode estar esvaziado”, afirmou a professora.

A ADunicamp realizará encontros nas Unidades, com a presença de integrantes da Diretoria e do CR, para conversar com docentes sobre o papel e a importância da entidade e de suas ações sindicais e associativas.

Com a retomada das atividades presenciais, lembrou Sílvia, a programação cultural da ADunicamp também volta de forma intensa. Na quinta-feira, 28 de abril, será realizada a primeira de uma série de quatro apresentações da Orquestra Sinfônica da Unicamp no auditório da ADunicamp.  

CAFÉ NA ROÇA

A professora Sílvia Gatti reforçou o convite, que já foi enviado por e-mail a todos/as associados/as da ADunicamp, para a participação no evento Café na Roça, que ocorrerá no próximo sábado, 30 de abril.

O Café na Roça será uma visita, com integrantes das diretorias da ADunicamp, do STU e de docentes que queiram integrar a comitiva, ao Assentamento Milton Santos, localizado na vizinha cidade de Americana e coordenado pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

O objetivo da visita é dar início à proposta de venda para docentes e servidores da Unicamp dos produtos agrícolas produzidos no assentamento. A proposta, que consistirá na entrega de cestas dos produtos no pátio da ADunicamp, foi aprovada no ano passado pela Diretoria da entidade e o Café na Roça também servirá para que sejam ajustados os detalhes finais dessa entrega.

“Essa visita permitirá que docentes e servidores conheçam o assentamento e apoiem esse projeto. É uma posição importante porque temos que ter sempre um olhar externo à Universidade”, avaliou Sílvia.

QUATRO MOÇÕES

O CR aprovou também quatro moções encaminhadas por conselheiros. São elas:

MOÇÃO 1

O Conselho de Representantes da ADunicamp manifesta seu apoio à condenação do deputado Daniel Silveira pelo STF e às ações de partidos de oposição que contestam o decreto presidencial que concedeu a graça constitucional ao deputado, por violar a separação de poderes e por desvio de finalidade.

MOÇÃO 2

O Conselho de Representantes da ADunicamp repudia as declarações do presidente Jair Bolsonaro nas quais ameaça descumprir sentença do STF sobre marco temporal de terras indígenas.

MOÇÃO 3

O Conselho de Representantes da ADunicamp, reunido no dia 26 de abril de 2022 e considerando que:

a) Foi claramente demonstrada a atuação de dois pastores evangélicos, sem vínculo formal com o Ministério da Educação, na distribuição de verbas à prefeituras municipais, com cobrança de propinas. O ex-ministro Ribeiro afirmou que o presidente tinha solicitado atendimento preferencial aos dois pastores, cuja interferência no Ministério da Educação antecede sua gestão;

b) Dinheiro do orçamento da Educação foi utilizado para financiar campanhas de incentivo à compra de armas;

c) Algumas prefeituras estão recebendo recursos da educação para financiar a construção de novas escolas, enquanto muitas outras permanecem inacabadas, em manobra de claro objetivo eleitoreiro, em que o objetivo é a inauguração e não a construção das escolas;

d) Foram iniciadas gestões para a abertura de uma CPI da Educação, que até o momento não se concretizou.

Conclui-se que os fatos acima confirmam a necessidade de sua averiguação,  

O Conselho de Representantes da ADunicamp apoia a abertura imediata da CPI da Educação.

MOÇÃO 4

O Conselho de Representantes da ADunicamp, reunido no dia 26 de abril de 2022, considerando que:

a) Em setembro de 2019 começou a funcionar a CPMI das fake news com o objetivo de investigar os “ataques cibernéticos que atentam contra a democracia e o debate público” e “a utilização de perfis falsos para influenciar os resultados das eleições de 2018”;

b) A comissão achou indícios sobre a estrutura das campanhas de desinformação, incluído seu financiamento;

c) A deputada J. Hasselman, em um dos seus depoimentos, confirmou a existência do “gabinete do ódio”, formado por assessores da Presidência da República e funcionando no Palácio do Planalto;

d) O funcionamento da comissão foi suspenso em março de 2020 por causa da pandemia e até hoje não foi retomado;

e) Os ataques via fake news ao sistema democrático não foram suspensos e continuam a ocorrer todos os dias, sendo atualmente o STF e o STE seus alvos preferenciais; f) Estes ataques estão se incrementando na medida da aproximação das eleições de 2022.

O Conselho de Representantes da ADunicamp defende a retomada imediata das atividades da CPMI das fake News.

Rolar para cima