Professores repudiam proposta da Reitoria, mantêm ‘estado de greve’ e marcam nova assembleia para quinta-feira, 28

image_pdfimage_print

Em assembleia realizada nesta terça-feira, 25, professores da Unicamp repudiaram a proposta das negociações da data-base 2018 encaminhada horas antes pela Reitoria da universidade, decidiram manter o ‘estado de greve’, com indicativo de greve e de retenção das notas do primeiro semestre.
Os professores decidiram, também, que a diretoria da ADunicamp deveria enviar, ainda nesta terça, um ofício à Reitoria reivindicando a reabertura imediata das negociações.
“Nossa Assembleia reagiu com indignação pelo modo como foi apresentada a proposta e pela maneira como foram tratados nossos questionamentos a ela. A Assembleia repudiou de maneira generalizada a proposta apresentada pela Reitoria. E ainda, por ampla maioria, decidiu suspender qualquer decisão a ser tomada e nos mandatou enviar este ofício à Reitoria solicitando A RETOMADA IMEDIATA DAS NEGOCIAÇÕES”, afirma a diretoria da ADunicamp no ofício.
ABAIXO, A ÍNTEGRA DO OFÍCIO
Magnífico Reitor,
Após reunião de negociação realizada na tarde de ontem, dia 25 de junho, recebemos proposta encaminhada pela Reitoria na manhã de hoje e divulgada pelo site da Unicamp.
O principal elemento novo desta proposta, distinto do que havia sido discutido na reunião de ontem, é o ponto 5, pelo qual a Reitoria “Propõe que 10% do excedente (sobre o previsto na PDO) da arrecadação do ICMS em 2018, descontados o reajuste de 1,5% e o aumento no auxílio alimentação, seja destinado às carreiras (docentes, incluindo as carreiras especiais, funcionários e pesquisadores) de modo anualizado a partir da segunda revisão orçamentária)“.
Em resposta, enviamos email à Chefia de Gabinete da Reitoria, cujo teor reproduzimos abaixo, em itálico:
***
Há acordo sobre os pontos 2, 4, 6 e 7.
Sobre o ponto 1:
depende do resultado da reunião técnica do dia 23/07/2018 e de uma possível nova reunião entre Cruesp e Fórum das 6 em agosto;
Sobre o ponto 5:
consideramos o previsto na PDO como o estimado pela AEPLAN para 2018 (R$ 97.936.000.000,00). Este raciocínio está correto?
não aceitamos que seja descontado o reajuste de 1,5% e o aumento no auxílio alimentação, do 10% da diferença entre o arrecadado e o previsto. Isto é, consideramos que a totalidade dos 10% de excedente deve ser destinado às carreiras (docentes, incluindo as carreiras especiais, funcionários e pesquisadores);
sobre o termo “modo anualizado”, gostaríamos de esclarecimentos no que concerne ao seguinte: trata-se de maio de 2017 a junho de 2018? Ou trata-se da apuração do percentual dos seis primeiros meses realizados até junho e aplica-se em 12 meses multiplicado pela base de fechamento de 2017 (R$ 94,427 bilhões)?
os meses de referência da segunda revisão orçamentária referem-se a quais meses realizados?
Sobre o ponto 3:
nossa aceitação do reajuste de R$ 100,00 no auxílio alimentação depende da aceitação de nossa contraproposta referente ao ponto 5. Pode haver compensação entre uma e outra proposta.
 ***
Enviados estes questionamentos e esta manifestação à Chefia de Gabinete, a resposta foi de que a proposta a ser considerada seria apenas aquela veiculada publicamente pela Reitoria.
O que recebemos, portanto, foi uma resposta lacônica e que não apenas desconsidera nossos questionamentos, mas também recua com relação àquilo que fora anteriormente determinado pelo Cruesp – uma vez que, na prática, coloca o 1,5% de reajuste e o pagamento do aumento em auxílio alimentação sob a abrangência dos eventuais 10% de diferença entre o arrecadado e o previsto.
Nossa Assembleia reagiu com indignação pelo modo como foi apresentada a proposta e pela maneira como foram tratados nossos questionamentos a ela. A Assembleia repudiou de maneira generalizada a proposta apresentada pela Reitoria. E ainda, por ampla maioria, decidiu suspender qualquer decisão a ser tomada e nos mandatou enviar este ofício à Reitoria solicitando A RETOMADA IMEDIATA DAS NEGOCIAÇÕES.
Além disso, foi mantido o indicativo de greve e de retenção das notas do primeiro semestre.
Em nome do respeito da relação entre a Reitoria e a ADunicamp, aguardamos vossa resposta a este ofício da maneira mais clara possível, para que não perdure mais dúvidas sobre qual é a proposta da Reitoria para a categoria docente nesta data-base 2018.
Atenciosamente,
Prof. Dr. Wagner de Melo Romão
Presidente
Exmo. Sr.
Prof. Dr. Marcelo Knobel
Magnífico Reitor da UNICAMP
***
Oficio na versão em PDF

Rolar para cima