Aos moços

Cora Coralina (1889-1985)

Eu sou aquela mulher

a quem o tempo

muito ensinou.

 

Ensinou a amar a vida.

Não desistir da luta.

Recomeçar na derrota.

Renunciar a palavras e pensamentos negativos.

Acreditar nos valores humanos.

Ser otimista.

 

Creio numa força imanente

que vai ligando a família humana

numa corrente luminosa

da fraternidade universal.

Creio na solidariedade humana.

Creio na superação dos erros

e angústias do presente.

 

Acredito nos moços.

Exalto sua confiança,

generosidade e idealismo.

Creio nos milagres da ciência

e na descoberta de uma profilaxia

futura dos erros e violências do presente.

 

Aprendi que mais vale lutar

do que recolher dinheiro fácil.

Antes acreditar do que duvidar.

 

Fonte: CORALINA, Cora.

Vintém de cobre: meias confissões de Aninha. São Paulo: Global, 2001