1

Cultura no IG apresenta "Corais", com maestro Paulo Rowlands

Os corais Madrigal Baobá Coral de Vidro, que integram o Programa Cultura no IG, farão apresentações abertas ao público nos meses de outubro e novembro. Os dois corais vão se juntar ao Coral Sintonia, de Valinhos, todos regidos pelo maestro Paulo Rowlands, para as apresentações que têm entrada gratuita. Confira:

  • 25 de outubro: Igreja Matriz de São Sebastião, em Valinhos, às 20h (Rua Padre Manoel Guinaut, 74, Centro)
  • 26 de novembro: auditório da Associação dos Docentes da Unicamp (Adunicamp), às 20h (Avenida Érico Veríssimo, 1479, Cidade Universitária)
  • 22 de outubro: apresentação do Coral de Vidro no saguão do Instituto de Geociências, às 16h, durante o happy hour do evento Geosudeste – (Rua Carlos Gomes, 250, Cidade Universitária)

REPERTÓRIO
O Coral Sintonia apresentará:
April is in my mistress’ face, de Thomas Morley
Fratello Sole, sorella Luna, de Riz Ortolani
Ameno Divano, de Eric Lévi
Va Pensiero, de Giuseppe Verdi
Hallelujah, de Leonard Cohen
O Coral de Vidro apresentará:
Matona mia cara, de Orlando di Lasso
Berimbau, de Vinicius de Moraes e Baden Powell
Minas com Bahia, de Chico Amaral
O Happy day, hino do Séc. XVIII, com solos de Caroline Araújo e Viviane Guerra
O Madrigal Baobá apresentará:
Ária da quarta corda, BWV 1068, de J. S. Bach
Ave Maria nº3, de Paulo Rowlands
Non nobis Domine, de Patrick Doyle, com solos de Giulia Luiza e Ana Luiza Lira
Lady Jane, de Mick Jagger e Keith Richards
Os três grupos juntos apresentarão:
Cum Sancto Spiritu, K. 139, de Wolfgang Amadeus Mozart
Lata d’água, de Luiz Antônio e Jota Júnior
Para mais informações, acesse portal.ige.unicamp.br.
Apresentação na ADunicamp | Serviço

“Corais”, com maestro Paulo Rowlands
26/NOVEMBRO/2019
20 HORAS
Auditório da ADunicamp
Entrada Franca




Cine debate | O Mestre e o Divino (15/10)

Muitas surpresas são reveladas no premiado longa “O Mestre e o Divino”,
que a ADunicamp exibirá nesta terça-feira, 15/10, às 19h,
no auditório da entidade.
O filme desvenda com muita beleza a relação de um encontro multiétnico
entre dois seres ligados pela mesma paixão, mas de posturas contraditórias
em relação a ela. Produzido por Vincent Carelli/Vídeo nas Aldeias, o filme foi vencedor dos prêmios de melhor documentário, montagem e trilha sonora no Festival de
Brasília 2013.
Divino Tserewahú, importante cineasta indígena da etnia xavante e
personagem central do documentário, veio a Campinas para interlocuções
culturais. Ao final da exibição, abrirá o debate e responderá a questões
instigadas pelo filme e sobre sua rica produção cinematográfica, que é referência
internacional em cinema etnográfico. A produção de Divino estará a venda.
A iniciativa é do Ponto de Cultura NINA, que conta com o Coletivo
Socializando Saberes, com a ADunicamp (Associação de Professores da Unicamp – Seção Sindical) e STU (Sindicato dos Trabalhadores da
Unicamp) para a realização do evento.
“O Mestre e o Divino” (2013)
Direção: Tiago Campos
Documentário | Livre | 85 min | Brasil
Sinopse: Dois cineastas retratam a vida na aldeia e na missão de Sangradouro, Mato
Grosso: Adalbert Heide, um excêntrico missionário alemão, que, logo após o
contato com os índios, em 1957, começa a filmar com sua câmera Super-8, e
Divino Tserewahu, jovem cineasta Xavante, que produz filmes para a
televisão e festivais de cinema desde os anos 90. Entre cumplicidade,
competição, ironia e emoção, eles dão vida a seus registros históricos,
revelando bastidores bem peculiares da catequização indígena no Brasil.
SERVIÇO: 
DATA: 15 de outubro de 2019 (terça-feira)
HORÁRIO: 19 horas
LOCAL: Auditório da ADunicamp
Entrada franca
A ADunicamp fica na Rua Dr. Érico Verissímo, 1479 – Cidade Universitária – Campinas




Concertos 2019 | "Obrigado, Radamés", com Duo Gabriel Rimoldi e Guilherme Lamas

O concerto “Obrigado, Radamés“, com o Duo Gabriel Rimoldi e Guilherme Lamas, é uma homenagem ao compositor Radamés Gnatalli. A apresentação acontecerá no auditório da
ADunicamp, dia 23 de outubro, a partir das 20:00 horas.
A formação instrumental de flauta e violão é elemento recorrente no que se constiui historicamente como identidade musical brasileira, fazendo-se presente nos mais distintos contextos, que vão desde a música de concerto às rodas de choro e samba. Versátil também é a produção artística do compositor gaúcho Radamés Gnatalli (1906-1988), que ao longo de sua profícua carreira tão bem transitou entre a então chamada música de concerto e os diversos gêneros da música popular. O compositor teve grande importância no cenário musical do século XX, sendo reconhecido como um importante ícone da modernização da linguagem musical brasileira.
A seleção de obras apresentada por este projeto visa elucidar não apenas a evolução da linguagem do próprio compositor ao longo de sua carreira, mas também elucidar sua contribuição ao desenvolvimento da linguagem musical brasileira através de uma geniosa apropriação de recursos da música erudita e de gêneros musicais como o choro, a valsa, a bossa-nova e o jazz.
Recentemente, observa-se certo incremento aos movimentos culturais que valorizam as expressões artísticas relacionadas ao Choro. Tal aspecto tem como consequência positiva o surgimento de novas gerações de músicos atuantes nessa área, ampliando o público interessado, o que potencializa a realização de eventos em espaços formais e informais, proporcionando vivências em rodas de choro, enquanto espaços de estímulo musical e troca de conhecimentos efetivos, além da ludicidade.
Nesse contexto, o projeto “Obrigado, Radamés”, visa não somente prestar uma homenagem a este importante compositor brasileiro, mas presta-se ao aperfeiçoamento técnico e artístico do material pesquisado.
Duo Gabriel Rimoldi e Guilherme Lamas

Gabriel Rimoldi – Flauta Transversal e Flauta em Sol
Guilherme Lamas – Violão 7 Cordas

O Duo teve início no ano de 2016, quando do ingresso de Guilherme Lamas no mestrado da Unicamp. Os músicos se conheceram no centro acadêmico da Unicamp e iniciaram o projeto apresentado. Gabriel Rimoldi toca a Flauta Transversal e Guilherme Lamas o Violão 7 Cordas de Aço.
Os arranjos são elaborados de modo híbrido, porém em sua grande parte a Flauta se destaca como solista, já o 7 Cordas de Aço se encarrega da condução do acompanhamento e também de melodias realizadas pelo polegar da Mão Direita na região grave do instrumento.
SERVIÇO
Duo Gabriel Rimoldi e Guilherme Lamas
23/OUTUBRO/2019
20H00 às 22H00
Auditório da ADunicamp
Entrada Franca




Baile anos 60 na ADunicamp

Em tempos de muita pressão e resistência merecemos uma pequena pausa.
O nosso “Baile anos 60” faz parte da extensa programação em nome da valorização da atividade de pesquisa e docência nas universidades públicas.
Muitos dos nossos associados dançaram ao som das famosas vitrolas e com certeza terão a lembrança dos coquetéis, como Cuba-libre e Hi-fi. O DJ Valério vai conduzir essa festa, fazendo homenagens musicais para os que curtiram a época e ao mesmo tempo indicando preciosas informações para os que não tiveram esta oportunidade.
Esta é uma atividade que faz parte da programação do OUTUBRO UNIFICADO EM DEFESA DA EDUCAÇÃO E DOS PROFESSORES.
SERVIÇO
DATA: 11 de outubro de 2019 (sexta-feira)
HORÁRIO: a partir das 18 horas
LOCAL: Sede da ADunicamp
Entrada franca




Cineclube com Debate | Fukushima – 5 dias decisivos (10/10)

O filme “Fukushima – 5 dias decisivos” será exibido dia 10 de outubro de 2019 (quinta-feira), às 19 horas, no auditório da ADunicamp. Após a exibição, haverá roda de conversa com Francisco Whitaker Ferreira, co-fundador do Fórum Social Mundial.
Fukushima – 5 dias decisivos
Gênero: Outros
Duração: 90 minutos
Classificação: 14 anos
SERVIÇO: 
DATA: 10 de outubro de 2019 (quinta-feira)
HORÁRIO: 19 horas
LOCAL: Auditório da Adunicamp
Entrada franca
 




Chá d'ADu (11/9/2019) | Duo Deborah Ferraz e Vinícius Gomes

O Chá d’ADu promove uma série de apresentações no Espaço ADunicamp (restaurante na sede da entidade), para os(as) sindicalizados(as) da entidade. A próxima apresentação, que será realizada no dia 11 de setembro, terá o duo Deborah Ferraz e Vinícius Gomes.
O duo Deborah Ferraz e Vinícius Gomes apresenta um espetáculo musical que dá vozes a personagens femininas em cena. O repertório consta de transcrições e arranjos, para piano e voz, de canções consagradas nas vozes de atrizes e cantoras brasileiras como Bibi Ferreira, Marlene, Georgette Fadel, Gal Costa e Cida Moreira, além de inserções de trechos de obras importantes do teatro musical e engajado brasileiro de autores como Chico Buarque, Edu Lobo, Gianfrancesco Guarnieri, Bertolt Brecht (com versões realizadas principalmente pelo Grupo de Teatro Ornitorrinco) e Lincoln Antonio. O duo buscou criar elos sensíveis entre diversas faces do universo feminino, instigando o questionamento sobre arquétipos comumente estabelecidos para a mulher em cena, passando por mães, rainhas, loucas e meretrizes.
SERVIÇO
Deborah Ferraz e Vinícius Gomes
11/SETEMBRO/2019
19 às 21 HORAS
ESPAÇO ADUNICAMP (restaurante na sede da entidade)
Entrada Franca
 




Mostra de Violão da Unicamp | II Edição – 2019

Nos dias 12, 13 e 14 de Agosto acontece a II Mostra de Violão da Unicamp!
Participação dos violonistas Micael Pancrácio, Bruno Madeira, Lucas Penteado, Ana Maria Bedaque, Ederaldo Sueiro, Camilla Silva e Stephen Coffey Bolis.
Recitais, masterclasses, oficinas, palestras e comunicações de pesquisa.
Entrada franca.
Apresentações no auditório da ADunicamp:
Bruno Madeira
12/AGO
13 Horas
Lucas Penteado
13/AGO
13 Horas
Camilla Silva e Ederaldo Sueiro
13/AGO
13 Horas
Mais informações em Mostra de Violão da Unicamp




Concertos 2019 | Show "Samba-Jazz e seus Trios", com Samboré Trio (21/8)

Samboré Trio nos leva à uma viagem atemporal; da agulha para os instrumentos, da vitrola para os palcos
A proposta é revisitar o repertório e sonoridade, com requinte e fidelidade aos arranjos originais dos históricos trios, verdadeiros pilares da música instrumental brasileira
Elogiado por sua pesquisa que resultou no livro “Guia Prático do Piano Brasileiro – Ernesto Nazareth”, o pianista e professor Léo Ferrarini (Jazz Combo do Conservatório de Tatuí), capitania o Samboré Trio, com o show “Samba-Jazz e Seus Trios”. Com este repertório, os músicos remetem o público à experiência de ouvir um legítimo Trio de Samba-Jazz da década de 60 e 70, interpretando arranjos originais transcritos, “os mesmos que foram gravados pelos trios nos discos”. O Samboré Trio é formado por Léo Ferrarini (piano), Felipe Depoli (contrabaixo acústico) e Everton Barba Rodrigues (bateria).
Juntos compartilham uma amizade musical de longa data e agora formam o Samboré Trio tocando em vários palcos como Bragança Jazz Festival, programa de entrevistas do Atelier de La Musique e outros.
O Show Samba-Jazz e Seus Trios, é fruto da pesquisa e levantamento de centenas de fonogramas de quase trinta trios, a grande maioria da segunda metade da década de 60, no eixo Rio – São Paulo, formação essa que surgiu na década de 30 (Estados Unidos), época em que as big bands dominavam, porém, os músicos se sentiam presos ao que estava na partitura, com os trios buscaram mais liberdade, principalmente nos bares, depois dos shows, caindo no gosto do público. Afirma Ferrarini:

“O jeito de tocar é diferente da música instrumental contemporânea. É tudo muito elaborado e requer outra abordagem para se colocar no som”

Conheça o Samboré Trio:
Teaser
Sinopse e Repertório
Ao Vivo e Entrevista
Livro
Currículo dos integrantes
Clipping
SERVIÇO
21/Agosto/2019
20H00 às 22H00
Auditório da ADunicamp
Entrada franca




Concertos | Quinteto de Metais da Orquestra Sinfônica da Unicamp se apresenta em Barão Geraldo e na ADunicamp

O Quinteto de Metais da Orquestra Sinfônica da Unicamp é uma das formações camerísticas da orquestra e conta, para este programa, com os músicos: Oscarindo Roque Filho e Samuel Brisolla (trompetes), Silvio Batista (trompa), Fernando Hehl (trombone) e Rafael Machado (tuba).
O repertório deste programa levará ao público peças do repertório tradicional para esta formação e arranjos especiais de música brasileira.
A Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU) é um corpo artístico profissional, mantido pela Universidade Estadual de Campinas, que está vinculado ao Centro de Integração, Documentação e Difusão Cultural da Unicamp (CIDDIC).

 
 
 
 
 
 
 
 
 
SERVIÇO
Quinteto de Metais da OSU: obras do repertório tradicional para Quinteto de Metais e música brasileira
15 agosto, quinta-feira, 20h
Adunicamp (Unicamp)
16 agosto, sexta-feira, 15h
Núcleo de Ação Social de Campinas
Concertos com entrada franca!
Quinteto de Metais da OSU:
Oscarindo Roque Filho, trompete
Samuel Brisolla, trompete
Silvio Batista, trompa
Fernando Hehl, trombone
Rafael Machado, tuba
Para mais informações, acesse ciddic.unicamp.br




Chá d'ADu (14/8/2019) | Espetáculo musical Corredeira

O Chá d’ADu promove uma série de apresentações no Espaço ADunicamp (restaurante na sede da entidade), para os(as) sindicalizados(as) da entidade. A próxima apresentação, que será realizada no dia 14 de agosto, terá Pedro Barsalini e banda apresentando o espetáculo musical Corredeira.
Corredeira é um espetáculo de canção popular brasileira. O repertório é estabelecido por canções autorais e co-autorais, compostas à partir da junção entre gêneros da música popular brasileira e os ritmos sagrados do candomblé, por exemplo: samba com ijexá, xote com ilu ou bolero com aguerê.
O espetáculo musical Corredeira se dá a partir da escolha de um repertório de canções autorais e co-autorais que formam uma dramaturgia sensível e profunda. Envolvido pela música e cenário, o público mergulhará em suas próprias memórias e experiências com as águas.
Das composições e repertório
A água é tema recorrente na poética das canções brasileiras, impossível não notar e ser contagiado pela exuberância, beleza e abundância desse bem natural do Brasil. Diversas vezes abordada, a água – assim como o amor, o dinheiro ou a morte – tem seu próprio repertório temático consagrado na música brasileira, por exemplo: Água (Djavan); Mar e Lua (Chico Buarque); O Rio de Piracicaba (Tião Carreiro e Pardinho); Cântico (Regina Machado); Timoneiro (Paulinho da Viola); Riacho de Areia (Domínio Público); Xote de Navegação (Dominguinhos). No repertório previsto estarão as músicas:
Água de Moringa (Diogo Nazareth/Pedro Barsalini/Matheus Crippa)
Banho (Pedro Barsalini),
Água (Djavan),
Correnteza (Tom Jobim),
Sal D’água (Pedro Barsalini/Samantha Francisco),
Cachoeira (Dudu Ferraz/Guilherme Cruz, arranjo de Pedro Barsalini)
Cântico (Regina Machado, arranjo de Pedro Barsalini).
Ficha técnica do projeto
Pedro Barsalini – violão e voz
Leandro Barsalini – bateria
Carol Leão – piano
Théo Fraga – baixo
SERVIÇO
Corredeira
14/AGOSTO/2019
19 às 21 HORAS
ESPAÇO ADUNICAMP (restaurante na sede da entidade)
Entrada Franca