ADunicamp repudia atentados ao acampamento Marielle Vive! e pede rigor na apuração dos casos

image_pdfimage_print

A ADunicamp repudia com veemência os atentados a tiros praticados contra o acampamento Marielle Vive!, em Valinhos, e se une aos/às moradores/as e a todas as entidades que exigem uma apuração imediata dos fatos e a rigorosa punição dos responsáveis.

O primeiro atentado ocorreu na madrugada deste domingo, 10 de abril, quando um homem ainda não identificado parou o carro e disparou vários tiros contra a portaria do acampamento, colocando em risco a vida de várias pessoas que se encontravam no local no momento e tiveram que se jogar no solo para não serem atingidas. Horas depois, na noite do domingo, novos disparos foram feitos, mas ninguém conseguiu identificar de onde eles partiram.

O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), que apoia e trabalha na organização do acampamento, avaliou que os atentados tenham sido motivados por uma tentativa de intimidação para que as famílias desocupem a área ou, então, por um “ataque direto neofacista”.

O Marielle Vive! abriga mais de mil homens, mulheres, jovens e crianças que cultivam seus próprios alimentos na horta agroecológica e garantem para todos/as três refeições diárias. Ocupada em 2018, a área improdutiva e degradada tem sido recuperada e preservada pela ocupação.

Em um momento de polarização política e ideológica como este que o Brasil vive, e mais exacerbado em ano eleitoral, a ADunicamp defende a ação rigorosa das autoridades na apuração dos atentados e a adoção de medidas imediatas de proteção às 450 famílias que vivem no local.

Rolar para cima