CR DA ADUNICAMP: PRÊMIO ADUNICAMP, PARTICIPAÇÃO NO ATO DO FÓRUM DAS SEIS E MOÇÕES

image_pdfimage_print

O Conselho de Representantes (CR) da ADunicamp, reunido nesta quinta-feira, dia 30 de setembro, aprovou a criação do Prêmio ADunicamp; discutiu a participação no ato do Fórum das Seis, que foi aprovado em assembleia; e apresentou a proposta de nova pesquisa sobre a saúde docente que está ocorrendo na Unicamp.

Na parte final da reunião, o CR aprovou duas moções encaminhadas pelo professor Mário Gneri (IMECC/Unicamp). A primeira foi em apoio ao comitê da ONU sobre Desaparecimentos Forçados, que avaliou pela primeira vez o caso do Brasil, concluindo que o país viola o tratado sobre tais desaparecimentos. A segunda, foi uma moção de repúdio ao projeto que pretende criar a “Medalha de Mérito da Segurança Pública Deputado Erasmo Dias”. Confira a íntegra das moções ao final deste texto. 

PRÊMIO ADUNICAMP

A professora Silvia Gatti, presidenta da ADunicamp, apresentou a proposta de criação do Prêmio ADunicamp, que pretende reconhecer ações coletivas e/ou individuais que em prol da democracia, da aflição dos menos favorecidos, do ensino público, dos direitos humanos, da justiça social, da ciência e das artes, da educação e do sindicalismo. 

O CR aprovou a criação do prêmio e também a criação do Grupo de Trabalho (GT) que irá produzir o edital com as regras de participação no prêmio. A divulgação do edital, bem como da data inscrição serão  divulgados  em breve. Fique atento/a às redes sociais da ADunicamp. 

ATO DO FÓRUM DAS SEIS (04/10/2021)

A presidenta da ADunicamp, professora Silvia Gatti (IB/Unicamp), lembrou a decisão da Assembleia de Docentes, que, na quarta-feira, dia 29 de setembro, aprovou a participação da entidade no ato público convocado pelo Fórum das Seis. 

O ato público presencial, que será com a adoção de todas as medidas de proteção sanitária, pretende cobrar do reitor Vahan Agopyan, atual presidente do Cruesp, imediato agendamento de reunião do GT salarial e reunião do Fórum das Seis com o Cruesp para debater o retorno presencial seguro e a data-base.

A ADunicamp irá fornecer transporte às/aos docentes interessados. Para reservar vaga, é necessário enviar um e-mail para rose@adunicamp.org.br, até às 13 horas do dia 01 de outubro (sexta-feira), manifestando o interesse em participar da caravana.

PESQUISA SOBRE A SAÚDE DOCENTE

O professor Gustavo Cunha (FCM/Unicamp), diretor da ADunicamp, apresentou a mais nova pesquisa que está sendo realizada na Unicamp. Trata-se da PESQUISA: CONDIÇÕES DE VIDA, SAÚDE E TRABALHO DOS DOCENTES DA UNICAMP, que tem por objetivo a identificação do perfil profissional, dos fatores psicossociais, das condições de vida, saúde e trabalho dos docentes da Unicamp.

De acordo com o professor Gustavo, “a pesquisa contribuirá para o diagnóstico de problemas de saúde relacionados ao trabalho, para o monitoramento das condições de trabalho no decorrer dos anos, para formulação de outros estudos direcionados para temas específicos e para qualificar reivindicações e decisões que envolvam as condições de trabalho docente na universidade”.

A pesquisa é uma ação dos docentes do Departamento de Saúde Coletiva da FCM/Unicamp. Ela foi enviada por e-mail para todos os docentes da Unicamp (associados e não associados à ADunicamp).  Caso não tenha recebido, os responsáveis pelo estudo disponibilizaram um e-mail exclusivo para dúvidas: saudedocenteunicamp@gmail.com

MOÇÕES

Confira a íntegra das moções citadas acima, apresentadas pelo prof. Mário Gneri (IMECC/Unicamp) e que foram aprovadas no CR:

Moção 1

O Comitê da ONU sobre Desaparecimentos Forçados, reunido na semana passada, avaliou pela primeira vez o caso do Brasil, concluindo que o país viola o tratado sobre tais desaparecimentos.

O desaparecimento forçado de pessoas constitui “crime de consumação permanente”. Ciente deste fato, o órgão afirma que a Lei de Anistia não pode ser usada para impedir que casos de desaparições ocorridos durante a ditadura militar sejam investigados e punidos.

O comitê também elogia o trabalho da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão Especial sobre Mortes e Desaparecimentos.

Os seguintes trechos foram extraídos de artigo de Jamil Chade publicado na UOL:

“O Comitê reafirma sua posição de que, como questão de princípio, todos os casos de desaparição forçada devem ser tratados somente por autoridades civis” e recomenda que o Brasil” tome rapidamente as medidas necessárias para garantir que a investigação e o processo de desaparições forçadas sejam expressamente excluídos da competência dos tribunais militares”.

O Conselho de Representantes da Adunicamp concorda plenamente com as deliberações do Comité da ONU e exige das autoridades competentes as medidas necessárias para o cumprimento do tratado internacional aludido.

Moção 2

O Conselho de Representantes da Adunicamp manifesta-se contra a votação e implementação do Projeto de Resolução nº 16, de 2020, que tramita na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. O projeto pretende criar a “Medalha de Mérito da Segurança Pública Deputado Erasmo Dias”.

O Conselho de Representantes declara seu profundo repúdio ao projeto que pretende homenagear a memória do nefasto representante da ditadura militar, claramente envolvido no terrorismo de estado.

Rolar para cima