A ADunicamp, em conjunto com o Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública, promoveu nas últimas semanas uma série de debates com candidaturas à presidência da República, ao governo do estado de São Paulo e ao Senado Federal. Todas as candidaturas para estes cargos foram convidadas. Tivemos a presença de um candidato à presidência, três candidatos/a a governador/a e cinco candidatos/a ao Senado, além de candidatos/as a deputado federal e estadual na plateia dos debates.

É nosso papel como entidade representativa dos e das docentes da Unicamp promover um melhor conhecimento sobre as candidaturas, sobretudo quanto às propostas em ciência, tecnologia e educação. Os vídeos dos debates estão presentes em nosso site.

No entanto, mais que isso, esta Diretoria gostaria de se manifestar contra candidaturas – para todos os cargos, mas sobretudo para presidente da República – que têm se colocado claramente contra inegáveis avanços e conquistas democráticas em nosso país historicamente injusto e autoritário.

Somos apoiadores de candidaturas que defendem abertamente os direitos humanos para todas as pessoas, sem exceção. Somos defensores de candidaturas que não tergiversam em se posicionar pela classe trabalhadora e contra a reforma trabalhista que tirou direitos históricos. Somos defensores de candidaturas que lutem por mais recursos para a educação e a ciência e que reafirmem a autonomia universitária. Que se posicionem claramente contra o projeto da escola da mordaça que busca impedir que as escolas cumpram sua função social de formação crítica e reflexiva das novas gerações. Que enfrentem com firmeza a enorme desigualdade social de nosso país. Que se comprometam com uma agenda política que reveja as decisões tomadas no atual governo, especialmente a Emenda Constitucional 95, que inviabiliza os investimentos em políticas públicas nos próximos anos.

Assim, esta Diretoria repudia a candidatura de Jair Bolsonaro e o que ela expressa em termos de ataque aos direitos humanos e às conquistas trabalhistas, por sua apologia à tortura, misoginia, homofobia e racismo, por seu projeto de invisibilização das diversidades e pela real ameaça de aprofundamento da violência e do autoritarismo que, infelizmente, ainda caracteriza a sociedade brasileira.

Vamos lutar para superar este difícil momento de nossa história! Viva o Brasil!