Prezados Associados,

Chegamos ao final dessa curta e intensa campanha para as eleições da ADunicamp.

Nessa semana, a Chapa 2 Transparência e Representatividade (T&R) fez a seguinte pergunta aos docentes por email: “O que você gostaria de ver realizado pela próxima diretoria da ADunicamp? Escolha todas as alternativas que julgar adequadas”.

Algumas alternativas de respostas foram oferecidas, com comentários livres em cada uma e mais espaço para outras ideias. Mais uma vez o retorno da enquete foi muito instrutivo (vide gráficos abaixo).

Apenas 1% das respostas considera que a ADunicamp está bem e que não há necessidade de realizar mudanças pela futura Diretoria. Mantendo o respeito a essa minoria, temos um indicativo claro que a grande maioria dos docentes quer novidades. E sem dúvida ambas as chapas propõem novidades.

A grande diferença, a nosso ver, é que uma vai manter o modus operandi que contribuiu para a atual distância entre a direção da ADunicamp e os seus associados. E a nossa Chapa 2 T&R vai usar todos os meios (usuais e inéditos) para reaproximar os docentes da sua Associação.

A Chapa 2 T&R reconhece que a conjuntura nos colocará diante de grandes desafios, e que para enfrentá-los com sucesso precisaremos de uma entidade representativa e forte. E é a participação dos seus associados, com toda a diversidade de opiniões dos docentes da Unicamp que dá à ADunicamp essa força. À diretoria compete coordenar essa participação no enfrentamento daqueles desafios.

Consideramos que o modelo tradicional de discussão, consulta e deliberação se tornou obsoleto e excludente. O mundo mudou radicalmente suas maneiras de comunicação e fluxo de informações, e a ADunicamp precisa mudar também. Esse diagnóstico é consensual. Mas O QUE e COMO se deve e pode fazer, nem tanto. E mais uma vez, apenas a proximidade da Diretoria com os docentes permitirá a construção de um novo modelo que torne a ADunicamp representativa.

A enquete mostrou também que a maioria (51% do total de respondentes) quer “Consultas e votos eletrônicos”. Entendemos que os debates e as deliberações presenciais devem continuar, em conjunto com a implementação de sistemas eletrônicos e/ou pela internet. Com isso a ADunicamp pode acolher a opinião de mais e mais associados e aumentar o peso político das instâncias decisórias.

As tecnologias de comunicação não se restringem ao voto eletrônico. Segmentamos no gráfico abaixo, à guisa de possibilidade, as seguintes opções:

  1. Espaços virtuais de discussão pela internet no site da ADunicamp (30%).
  2. Consultas e votos eletrônicos (37%).
  3. Transmissão audiovisual ao vivo pela internet de todas as reuniões do CR e das assembleias (30%).
  4. Assembleias estendidas em tempo e espaço (10%).

As porcentagens no gráfico de pizza acima mostram, de maneira transparente, os pesos relativos que os docentes percebem nesse momento para que a nova Diretoria implemente.

Outra preocupação importante (43% do total de respondentes) surgida na enquete foi com a da Unimed. Os docentes deixaram várias observações, comentários e sugestões que poderão auxiliar nos encaminhamentos para discutir, sempre no sentido de melhorar o plano e diminuir as mensalidades, e jamais descontinuar.
Finalmente, a nossa relação com o ANDES. A percepção atual dos docentes­­­­­ pode ser vista no seguinte gráfico:

  1. Manter a vinculação atual ao ANDES (7%).
  2. Reduzir a contribuição (cerca de R$ 650 mil por ano atualmente) ao ANDES (23%).
  3. Suprimir a contribuição ao ANDES (32%).
  4. ADunicamp se desvincular do ANDES (38%).

A nova Diretoria deve colocar esse assunto em pauta, em uma discussão ampla e inclusiva, para poder tomar a ação que seja a mais representativa da vontade dos associados.

Muitas outras questões poderiam ser feitas, mas a dinâmica docente não permitiria muitos retornos no curto período desta campanha e por isso escolhemos politicamente as poucas questões de nossas 5 enquetes. Defendemos intransigentemente a informação de todos como instrumento organizado de ação. Não permitam que desinformações ou fake news os atemorizem! Afinal, quem tem medo da maioria?

Tivemos cerca de uma centena de apoios ativos na nossa página da internet. Vejam em https://tradunicamp.wordpress.com/apoios/
Tivemos cerca de mil apoios anônimos durante as enquetes. Convidamos então todos a comparecerem às urnas e a votarem pela chapa 2 Transparência e Representatividade.

Encerramos essa nota com alguns dos apoios registrados:

“A proposta desta chapa , muito bem expressa no seu título e sua composição, vai representar seguramente uma nova era na história da Adunicamp. Os docentes terão representação que reflete em grande parte a demanda da maioria dos docentes e associados. Haverá, acredito, uma mudança conceitual do que realmente é uma associação de docentes sem aparelhamentos e focada nas reais aspirações associativas dos docentes. Tudo isso é bom não só para a Adunicamp como para a Unicamp de uma maneira geral e salutar para o sistema universitário paulista e nacional”. Luiz Carlos Kretly, FEEC.

“Parabéns! Vocês estão no caminho certo. Gostei muito da maneira como vocês estão conduzindo sua campanha. Uma Universidade do século 21 precisa de uma representatividade do século 21. Desejo-lhes sucesso nesta empreitada que é também a nossa”. Cylon Gonçalves da Silva, IFGW.

“Apoio a Chapa 2 – Transparência e Representatividade pela proposta inovadora de construção de uma relação mais direta com os docentes da Universidade, representando sua pluralidade. Suas iniciativas já provocaram um maior interesse pela Adunicamp fazendo com que mesmo seus apoiadores passivos percebessem a necessidade de participar mais ativamente da vida da associação. A Adunicamp, além de representar a diversidade de ideias de seus associados não pode nunca esquecer que a Universidade não deve ser um gueto, e que ela (Adunicamp) deve estar sempre ao lado daqueles que batalham contra a maior chaga da sociedade brasileira que é a desigualdade social. Ver “A Distância que nos une – Um retrato das desigualdades brasileiras” (https://www.oxfam.org.br/sites/default/files/arquivos/Relatorio_A_distancia_que_nos_une.pdf)”. José Tomaz Vieira Pereira, FEM.

COMPARTILHE