ricardo_antunes_homeRicardo Antunes: Projeto de terceirização gera ‘escravos modernos’

O livro Adeus ao Trabalho?, quando foi publicado no Brasil em 1995, apontava entre suas teses que, se as empresas fossem deixadas em sua lógica livre, o que é exceção, como o trabalho terceirizado, tenderia a se tornar regra. “Esta é a tragédia que nós estamos vivendo hoje, 20 anos depois”, alertou o autor Ricardo Antunes (foto), professor titular da Unicamp e sociólogo. Na entrevista, além de chamar a atenção para os perigos do projeto de terceirização da Câmara e sobre como este representa bem o caminho da informalidade global indicado pelo livro, Antunes oferece uma análise do mercado de trabalho nos últimos anos e atesta, “o dia de amanhã é razoavelmente imprevisível”, para todos.

Acesse aqui e leia na íntegra

 


 

carteira_rasgada_1Terceirização – Confira o voto de cada deputado

Acesse aqui e leia na íntegra

 

 

 


 

JorgeLuizSoutoMaior_internaPL 4.330/04: desmascaramento e enfrentamento

Por Jorge Luiz Souto Maior

Não se pode atribuir alguma razão, mínima que seja, àqueles que ora defendem a aprovação do PL 4.330/04, pois todos os argumentos que utilizam são falaciosos, ideológicos, visando escamotear as suas reais motivações. Vejamos a fragilidade dos argumentos utilizados em defesa do PL.(…)

Acesse aqui e leia na íntegra

charge_internaO que dizem terceirizados sobre a terceirização? Fomos ouvi-los

Por Leonardo Mendes

O melhor método de formar uma opinião sobre as terceirizações é conversar com funcionários terceirizados.
Fiz isso na unidade em que eu trabalho na UFRJ.
Num universo de cinquenta funcionários terceirizados, vários deles estão na terceira, quarta, quinta ou sexta empresa. As anteriores decretaram falência, perderam contratos e os demitiram ou simplesmente, um belo dia, desapareceram. (…)

Acesse aqui e leia na íntegra

 

PL4330_protesto_pisadaFUZILAMENTO

Por Vladimir Safatle

“Foi a pior derrota dos trabalhadores brasileiros desde o golpe de 64.” Essa frase do sociólogo Ruy Braga descreve muito bem o que significou a aprovação do projeto que facilita a terceirização e a subcontratação do trabalho (lei 4.330), na semana passada, pela Câmara dos Deputados. (…)

Acesse aqui e leia na íntegra

ato_br_tercerizacaoTerceirizar atividade finalística é inconstitucional e atinge direitos fundamentais

Por Najla Passos – Carta Maior

A audiência pública promovida pela Comissão de Direitos Humanos do Senado (CDH), no diz 13 de abril, para debater o Projeto de Lei 4330/04, que libera as terceirizações em todas as atividades das empresas, aprovado na semana passada pela Câmara e já considerado o mais duro ataque aos direitos trabalhistas da última década, deixou claro o completo descolamento entre o que quer e pensa o povo brasileiro e os parlamentares eleitos para representá-lo. Enquanto uma maioria formada por 324 deputados foi favorável ao projeto, os representantes de todas as 24 entidades convidadas a participar do evento manifestaram posição contrária. Entre eles, lideranças das maiores centrais sindicais do país, como CUT, UGT, CTB, NCST e Conlutas. (…)

Acesse aqui e leia na íntegra

 


 

PL4330_camara_wilson_dias_agencia_brasi_destaqueAprovação de nova lei da terceirização será ‘um desastre’, diz economista

Patrícia Fachin | Instituto Humanitas Unisinos

De volta à agenda do Congresso depois de dois anos, o Projeto de Lei 4330, que propõe regulamentar a terceirização no Brasil, teve seu texto principal aprovado pela Câmara dos Deputados na noite de 8 de abril, por 324 votos a favor, 137 contra e duas abstenções.
Marilane Teixeira cursa doutorado em Economia Social na Universidade de Campinas – Unicamp e atua como assessora técnica da Confederação Nacional do Ramo Químico – CNQ, e há anos acompanha a discussão sobre o tema no país. Em entrevista, Marilane explicou que caso o PL seja aprovado, há a expectativa de que seja vetado pela presidenta. Entretanto, pontua, “ela pode vetar tudo ou partes do PL. De todo modo, ele voltaria para o Congresso em caráter de urgência e o veto ainda pode ser derrubado.” (…)

Acesse aqui e leia na íntegra

 


 

pmlPML: Após Vargas, Jango e Lula, é a vez da Dilma

Por Paulo Moreira Leite

A presença de Luiz Inácio Lula da Silva na mobilização contra o PL 4330 só vem demonstrar a necessidade de um debate essencial para o futuro do Brasil. Lula disse que a derrota do projeto é um “ponto de honra” dos trabalhadores.
O caráter impopular do projeto se confirma pelo crescimento dos protestos nos últimos dias. O movimento na base da sociedade se ampliou e levou a UGT, terceira maior central do país, construída no setor de serviços – onde o inferno da terceirização se faz sentir com toda intensidade — a abandonar o bloco favorável ao PL 4330 e exibir suas faixas nos protestos de rua (…)

Acesse aqui e leia na íntegra

 

carteira_rasgada_1Prometendo modernizar lei, terceirização no México consagra precarização

Por Vanessa Martina Silva | São Paulo

Um banco inteiro operando sem nenhum funcionário. Foi desta maneira que o espanhol Bancomer (Banco do Comércio) levou a terceirização às últimas consequências em sua operação no México na década passada. Contra práticas semelhantes, o país realizou, em 2012, uma reforma da Lei Federal do Trabalho, regulamentando no país a “subcontratação”, nome pelo qual a terceirização é conhecido. Por outro lado, na avaliação da especialista em direitos trabalhistas mexicanos e professora da UAM-X (Universidade Autônoma Metropolitana campus Xochimilco) Graciela Bensúsan, a lei “aumentou a oferta de empregos precários”. (…)

Acesse aqui e leia na íntegra

 

homem_engrenagemADunicamp, STU e DCE: Barrar a PL4330 e Derrotar a Terceirização

Um grande ataque foi desferido, na quarta-feira (08/04), sobre os trabalhadores quando a Câmara dos Deputados aprovou por 324 a 164 votos o Projeto de Lei (PL) 4330/2004 que estende a terceirização para as atividades fins tanto no serviço público quanto no privado.(…)

 

Acesse aqui e leia na íntegra