A Diretoria da ADunicamp repudia com veemência a instalação de uma Comissão Sindicante no campus da ESALQ/USP para investigar a quarta edição da “Jornada Universitária em Apoio à Reforma Agrária”, organizada pelo Prof. Marcos Sorrentino entre os dias  17 e 20 de abril. Esta Diretoria entende que houve tentativa de cerceamento da liberdade de pensamento e pesquisa do docente, sobretudo pelos questionamentos relacionados à legitimidade do evento, incluindo pedido de autorização por colegiado. O fato de o evento apresentar, com transparência, um posicionamento ideológico acerca da reforma agrária não deveria gerar sequer estranhamento num ambiente universitário em que a liberdade de expressão e o respeito à individualidade são uma regra. Preocupa a esta Diretoria a possibilidade de, a partir de medidas como essa, passarem a ser exceção.