A Assembleia Geral de docentes, realizada nesta quinta-feira, 9, no auditório da ADunicamp, decidiu manter – com apenas pequenas alterações no texto – a íntegra do “Indicativo de Pauta Unificada de Reivindicações 2017” proposto pelo Fórum das Seis (F6) para as reivindicações da data-base deste ano (leia aqui).

No segundo item da pauta da Assembleia (leia aqui), que deliberou sobre a participação da ADunicamp nas atividades programadas para o próximo dia 15, Dia Nacional de Paralisação e Lutas contra a Reforma da Previdência, os docentes decidiram apoiar as mobilizações já programadas por diversas entidades, sugerindo também levar o debate da Reforma da Previdência para dentro das salas de aula da universidade.

A proposta aprovada na Assembleia Geral prevê que, no dia 15, os professores reservem algum tempo em sala para conversar com seus alunos sobre a Reforma da Previdência, como forma de apoio às mobilizações e atividades que vão ocorrer em todo o Brasil.

REPOSIÇÃO SALARIAL

No primeiro ponto do Item 2 do Indicativo de Pauta Unificada do F6 (Salário), foram apresentadas duas propostas para serem votadas pelas assembleias de base.

A Proposta A reivindica, além da reposição da inflação no período maio/2016 a abril/2017, também a reposição imediata da inflação não paga no período maio/2015 a abril/2016.

Já a Proposta B, aprovada pela Assembleia, reivindica a reposição imediata da inflação correspondente a maio/2016 a abril/2017 e a definição de uma política para a reposição não paga no período anterior.

Ao aprovar a Proposta B, a Assembleia seguiu o entendimento da Diretoria, reconhecendo que, além da crise de financiamento das universidades, denunciada pelo F6 de modo sistemático há vários anos, há também, no presente momento, uma crise financeira que dificultaria a reposição imediata da inflação não paga anteriormente. Essa posição da ADunicamp será levada à próxima reunião do F6, como subsídio à definição da pauta unificada.